Prof. Alexandre Caldeirão – Coordenador

Texto: Andréia Vigolo Lourenço / Wagner Silveira

Entre os dias nove e onze de outubro, as equipes técnica e educativa da Divisão de Meio Ambiente Saúde e Segurança da Superintendência do Porto do Rio Grande (DMASS/SUPRG) participaram de uma oficina de capacitação – cujo intuito foi apresentar e instrumentalizar os profissionais sobre uma nova ferramenta de diagnóstico e gestão ambiental. A oficina foi desenvolvida com o objetivo de capacitar as equipes para diagnosticar em detalhes a situação ambiental interna do Porto Novo, sendo ministrada pelos integrantes do Projeto TRANSAQUA (FURG), o qual possui um Termo de Cooperação Técnica assinado com a SUPRG.

Equipe DMASS/ProEA

O Projeto “TRANSAQUA – Gestão e Segurança da Navegação e do Transporte Aquaviário: Desenvolvimento Ambientalmente Sustentável de Sistemas Marítimos e Fluviais” tem, entre seus aspectos principais, o objetivo de desenvolver metodologias para a gestão e segurança da navegação e do transporte hidroviário. Dessa forma, busca contribuir para o desenvolvimento ambientalmente sustentável dos sistemas portuários estudados. Sendo assim, a oficina de capacitação realizada junto à DMASS/SUPRG vem ao encontro dos objetivos do referido projeto.

A ferramenta de avaliação apresentada às equipes, denominada de Análises dos Modos de Falha e seus efeitos (FMEA), constituirá um importante instrumento de diagnóstico da situação de gestão ambiental do porto, tanto do ponto de vista operacional quanto sob os aspectos gerenciais e de infraestrutura. A ferramenta FMEA, portanto, auxiliará na determinação de riscos ambientais de todos os processos existentes nas áreas do Porto Novo. A determinação desses riscos, por sua vez, é estabelecida através da elaboração de uma matriz (planilha) de aspectos e impactos ambientais quantificados com base na observação crítica dos processos e operações portuárias, bem como conversas com os trabalhadores dos setores envolvidos. Sendo assim, ao final dessa avaliação interna, o resultado permitirá determinar os processos de maior risco ambiental e, consequentemente, direcionar as ações de gestão para a melhoria, eliminação ou redução das falhas observadas nas operações do Porto.

A capacitação foi considerada pelos participantes como mais um importante passo rumo à qualificação ambiental do Porto do Rio Grande, uma vez que, ao término da oficina, as equipes estão aptas para aplicar a ferramenta no ambiente do Porto e propor e encaminhar soluções na área de Meio Ambiente, Segurança e Saúde dos trabalhadores portuários.

  

Saída de campo – Setor de Engenharia

 

Equipe Transaqua

 

Anúncios