No último dia 14 a Divisão do Meio Ambiente Saúde e Segurança do Porto do Rio Grande (DMASS/PRG), através de sua equipe de gestão ambiental, deu início a um procedimento que qualifica a acomodação e destinação de resíduos Classe I, especificamente, as lâmpadas da área primária do espaço portuário.

Uma demanda que surgiu do próprio diálogo com os trabalhadores, a qual gerou a criação da caixa de alocação ainda em 2012, bem como formação continuada sobre os procedimentos para com esse tipo de resíduo que agora amplia seu escopo e passa a receber a integralidade desse tipo de resíduo existente no cais – tanto da SUPRG como dos operadores.

DSC00262Isso se deve a criação de um Plano de Cooperação para destinação das Lâmpadas, elaborado pelo corpo técnico da DMASS, plano esse que foi apresentado aos operadores que, de imediato, aceitaram o procedimento de destinação conjunta – o que otimiza o processo e, da mesma forma, qualifica uma rotina ambiental que passa a ser ainda mais segura.

Por possuir o espaço e a estrutura adequados para o recebimento, a Sessão de Engenharia da SUPRG/Elétrica agora recebe o material, aloca e dá início ao procedimento de retirada do resíduo – com acompanhamento direto da DMASS. Tal realidade se faz possível depois de uma série de ações implementadas pelo Programa de Educação Ambiental em parceria com o corpo técnico da DMASS, as quais, de maneira sucinta se deram da seguinte maneira:

Passo 1: Levantamento da demanda no âmbito das imersões do ProEA

Passo 2: Demanda apresentada pelo então encarregado da Elétrica no Círculo de Diálogo do ProEA

Passo 3: Criação da estrutura adequada

Passo 4: Acompanhamento da DMASS em um processo de destinação das lâmpadas no contexto dessa nova estrutura

Passo 5: Primeira retirada de lâmpadas acompanhada (interna)

Passo 6: Apresentação da proposta do Plano de Cooperação com fins de otimização do processo na área portuária aos operadores (Conselho de Gestão Ambiental)

Passo 7: Aceite da proposta e assinatura junto ao Plano

Passo 8: Criação de uma planilha de monitoramento por parte da equipe técnica da DMASS

Assim, de forma coletiva, repensando os procedimentos a serem implementados em cada etapa, a DMASS e seu corpo de gestão ambiental iniciaram, nessa semana, a destinação através do Plano de Cooperação. Esse é o horizonte de trabalho da divisão, trabalhar de forma a qualificar as rotinas ambientais e gerar a otimização dos procedimentos técnicos ligados a geração e destinação de resíduos na área primária.

DSC00264 DSC00266

Armazenamento e registro do resíduo – Encarregado da Elétrica (Bastos)

Anúncios