Na manhã de sábado, dia 19 de outubro, a Superintendência do Porto do Rio Grande, por meio do seu Programa de Educação Ambiental (ProEA/PRG), coordenou importante ação coletiva na comunidade da Mangueira, vizinha ao Porto do Rio Grande. Vale salientar que, esse trabalho, não se trata de uma ação isolada, mas sim fruto de um projeto continuado estabelecido com a comunidade em questão, que ocorria nas dependências da escola de Ensino Fundamental Ramiz Galvão desde abril de 2013.

DSC01486 DSC01506

Assim, somaram-se esforços para essa ação os projetos Coletivos Educadores Mirins e Escolas Costeiras, cada um responsável por um segmento específico de atividades com a comunidade da Mangueira. Somente dessa forma, com continuidade, diálogo permanente e troca de experiências, que uma ação como essa atinge sucesso.

Ao longo desse tempo, que antecedeu o mutirão, o ProEA visou oferecer experiências educativas que levassem em consideração a compreensão cognitiva e afetiva da complexidade ambiental, enfocando as particularidades do ecossistema local, na interação com a dimensão social, política e econômica que caracteriza o local.  E, na trajetória dos dois projetos, demandas surgiram, o que fez com que um evento final viesse a manifestar o resultado desses diálogos, bem como proporcionasse um espaço de diálogo com demais instituições que poderiam contribuir para encaminhamentos objetivos.

Com esse horizonte, o mutirão intitulado Recicla que agora é hora do lixo ir embora contou com a seguinte agenda de ações, que iniciam em abril e encerram essa etapa com o mutirão:

1)      Apresentação dos projetos para comunidade

2)      Início dos projetos no bairro Mangueira

3)      Busca da demanda de ação do ProEA a partir dos próprios trabalhadores

4)      Atividades de sensibilização ligadas ao tema apresentado pela comunidade

5)      Criação do nome do mutirão e posterior divulgação

6)      Elaboração de um cronograma de atividades para o dia da ação

 DSC01524 DSCN2688

Quanto ao dia do mutirão, organizou-se a seguinte metodologia de trabalho: às 8:30h teve início uma Roda de Conversa com a presença das Secretarias do Município (Meio Ambiente; Educação; Cidadania e Assistência Social e de Obras e Viação). Secretarias que poderiam colaborar com as demandas apresentadas pela comunidade, e promovendo o diálogo poderiam propor encaminhamentos pactuados, coletivos.

Paralelo à Roda de Conversas, realizamos em outra sala uma atividade com as crianças da escola onde, abordamos a questão dos resíduos em nossa cidade. Como tonelagem coletada por dia e o valor pago pelo município pelo serviço prestado; diferença entre lixo e resíduo; recicladoras da cidade e o que recebem de material que é possível aproveitar (de 6 apenas 2 tem utilidade para os cooperados); como podemos entregar esse material nas cooperativas. A seguir passamos um curta de nome “Man Humanos” retratando o comportamento do homem no ambiente e os impactos ambientais causados pela produção, desperdícios, poluição e degradação da nossa “Nave Terra”.

Com isso, a atividade buscou mobilizar a todos, através do diálogo, em favor de uma melhor qualidade de vida naquele bairro, exercitando a co-responsabilidade pelo ambiente, pois é necessário que os cidadãos façam a sua parte.

O passo seguinte foi o momento do mutirão. Esse contou com ampla participação da comunidade da Mangueira, a qual recebeu os equipamentos de coleta, para que tudo fosse realizado de forma correta e segura – tal coleta aconteceu nos arredores da escola Ramiz Galvão, que fica localizada no centro do bairro.

Encerrada a atividade de recolhimento do lixo, os participantes realizaram uma separação de todo o material para que ele fosse depositado numa caçamba disponibilizada pela Secretaria de Município de Obras e Viação (SMOV). E, ao final do encontro, todos nós participamos de um lanche coletivo em parceria com a escola, no qual os diálogos sobre a atividade permaneceram vivos, o que demonstra o impacto que esta ocasionou naqueles que dela tomaram parte.

É assim que, atuando em rede, em vários níveis de ação solidários entre si – os pais, os alunos, os pescadores, os professores e as diversas lideranças comunitárias –, amadurecem a construção de uma comunidade sustentável em todos os sentidos!

Agradecimentos

Após uma atividade dessa proporção, que mobiliza um número significativo de pessoas e instituições, é preciso agradecer àqueles que abraçaram essa ideia e foram, igualmente, fundamentais para o acontecimento do evento.

Por isso, cabe primeiro um agradecimentos as instituições parceiras, que além das já citadas secretarias do executivo municipal, cabe um agradecimento ao próprio Executivo que possibilitou essa parceria. Da mesma forma, foram parceiras e colaboraram a Emater/RS e a Transpetro/Rio Grande, que somaram forças para o saldo positivo do mutirão.

E, por fim, um agradecimento a SUPRG, nos seus setores de Assessoria de Comunicação Social, que fez questão de publicizar todos os momentos do evento e o Setor de Almoxarifado e Compras (SAC), que colaborou de sobremaneira para a agilidade na aquisição de materiais necessários. Igualmente, o Setor de Garagem e Atracação, que cedeu viaturas para o deslocamento da equipe, e cabe aqui também um agradecimento ao servidor Eduardo “Dado” da Contabilidade, o qual, gratuitamente, disponibilizou seu carro de som pessoal para a divulgação do mutirão.

DSC01515A todos que participaram, e aos que colaboraram, muito obrigado!

Anúncios