hortoA atividade ocorreu na manhã da última quarta-feira, (10), e contou com a presença de participantes do Grupo Bem Viver, projeto de incentivo à vida saudável que atende idosos do bairro Getúlio Vargas. O ProEA mediou essa saída de campo com a intenção de instruir os presentes a como cultivar o seu próprio alimento, através de uma horta coletiva composta por frutas e legumes sem a introdução de fungicidas e herbicidas, produtos altamente danosos para a saúde humana.

Essa experiência adquirida poderá ser replicada na própria residência dos participantes com a ajuda e suporte técnico da EMATER, o que se dá partir das diversas formações que o ProEA promove no bairro. No momento inicial da atividade o técnico de segurança do OGMO e filho de agricultor, Felipe Mendes de Carvalho, relatou que o modelo alternativo de plantio, sem a introdução de venenos, beneficia não apenas a saúde do solo, mas como também a dos consumidores.

André Perbeleg, técnico da EMATER, durante as atividades do dia, realizou uma apresentação abordando a Horticultura e Fruticultura. André salientou o elevado uso de agrotóxico nas frutas e legumes, prática que auxilia no elevado número de doenças como o câncer. Nesse sentido, os benefícios de realizar uma horta orgânica em casa possibilitam a ingestão alimentos de forma segura e prática. Para finalizar, o grupo foi conduzido a um passeio pelo Horto, conhecendo os diversos tipos de plantações do local, e o chamado relógio do corpo humano, que se constitui em uma série de plantas medicinais, como a salsa que é benéfica para o baço e pâncreas.

Esse tipo de atividade é imprescindível, uma vez que através dessas experiências é possível adquirir informações preciosas para a saúde e bem estar próprio. E vale lembrar que essa foi uma atividade realizada em parceria com a EMATER/RS e do OGMO/RG.

Anúncios